Cresce número de atendimentos às vítimas do trânsito no IJF

Anúncios

Redes Sociais e Trânsito é tema de debate em Fortaleza

Como as redes sociais colaboram para a melhoria do trânsito? Este é o ponto de partida do debate Redes Sociais e Trânsito que será realizado na sexta, 30, das 19 às 21h, no Auditório do Sebrae, em Fortaleza, Ceará. O debate faz parte da programação do Fórum Brasileiro de Valorização e Preservação da Vida no Trânsito – Fortran 2011, que será realizado de 28/9 a 1º/10.

Para debater o assunto foram convidados Lenine Nóbrega (@LeiSecaFortal ) e  Micael Estrazulas(@transitoce). O editor executivo do portal O Povo Online, Erivaldo Carvalho, será o mediador do debate. O portal lançou recentemente o perfil @transitoopovo, em que repercute como está o trânsito na capital cearense. Também participará do debate o blogueiro Hebert Lemos.

Presente  em todo o Brasil, perfis em redes sociais sobre trânsito  são uma alternativa que os  internautas dispõem para não dependerem apenas das informações de órgãos oficiais. Um serviço gratuito e colaborativo que ganha cada vez mais adeptos. Em Fortaleza, os seis principais perfis voltados ao trânsito têm juntos mais de 28 mil seguidores. São pessoas que se utilizam das informações compartilhadas por outros motoristas, como monitoramento de engarrafamentos ou blitzes, acidentes, roubos de veículos e até carona solidária.

Serviço:

Debate Redes Sociais e Trânsito. Sexta,30, das 19 às 21h, no Auditório do Sebrae, Fortaleza, Ceará.

Entrada Franca.

Mais informações: @fortran2011

Soluções para Mobilidade e Infraestrutura são debatidas em Fortaleza

A situação do trânsito em Fortaleza, bem como em todas as grandes cidades do país, tem implicações não apenas estruturais, mas também econômicas, sociais e culturais. Especialistas têm afirmado que a sociedade tem que se juntar às esferas públicas para uma proposição de soluções definitivas, de médio e longo prazo. Este é um dos temas que será discutido durante o Fortran 2011, a partir de 28 de setembro no auditório do Sebrae.

Somente este ano, de janeiro a agosto, a frota de automóveis em Fortaleza cresceu em 10,5%. Atualmente são 444,5 mil carros na cidade. Os dados são do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). As motocicletas somam quase 176 mil. O total de veículos registrados na capital, incluindo ônibus e caminhões é de 760 mil. Em todo o Ceará são 1.857.315 meios de transporte circulando.

A grande quantidade de automóveis em circulação contribui para o caos do trânsito que se vê diariamente em Fortaleza. As obras de infraestrutura parecem não dar conta do aumento da frota. O mesmo crescimento econômico que eleva o Brasil ao patamar de potência mundial encontra gargalos que atrapalham o desenvolvimento interno. No caso da capital cearense, a meta de preparar a cidade para a copa do mundo de 2014 evidencia ainda mais a urgência em ações que possibilitem a mobilidade na cidade.

Entretanto, os desafios de transformação que Fortaleza, entre outras cidades do país, tem que enfrentar não são apenas estruturais.  A doutora em Psicologia do Trânsito pela Universidade de São Paulo (USP), Gislene Macêdo acredita que a mudança necessária é, acima de tudo, a cultural. “Entendemos que mobilidade é antes de tudo humana porque somos nós quem atribuímos sentido aos espaços e aos nossos deslocamentos diários”, afirma.

A acadêmica, que também é professora da Universidade Federal do Ceará em Sobral, acredita que o excesso de veículos particulares isola as pessoas, o que contribui para “uma cidade menos acolhedora, menos saudável e menos afetiva”. Ela entende que, da mesma forma em que o isolamento é causa do problema, a solução está no papel coletivo que todos têm a obrigação de cumprir. Segundo Gislene, os diversos setores da sociedade devem agir conjuntamente com o poder público.

No próximo dia 29, dentro das programações do Fórum Brasileiro de Valorização e Preservação da Vida no Trânsito – Fortran 2011, a especialista apresentará a palestra Mobilidade Humana: Utopia ou Realidade, onde vai expor seus estudos na área e propor soluções que abrangem todas as perspectivas do tema. Logo após, o tema será debatido e as conclusões irão compor a Carta do Fortran com proposições concretas de soluções de médio e longo prazo para o problema do trânsito.

Serviço:

Palestra Mobilidade Humana: Utopia ou Realidade, com a professora da UFC, Dra. Gislene Macêdo. Fortran 2011 – Fórum Brasileiro de Valorização e Preservação da Vida no Trânsito, entre 28 de setembro e 1º de outubro, no auditório do Sebrae/CE (Av.Monsenhor Tabosa, 77 – Praia de Iracema).A palestra será realizada no  29, das 14 às 16h.

Fonte:

– Gislene Macêdo – Doutora em Psicologia do Trânsito (USP) e professora da UFC.

Email: gislene.mac@gmail.com

Max Swell Ribeiro – Presidente do Ibradec e Organizador do Fortran 2011.

Email: ibradec@gmail.com

Fortran 2011

Fortaleza sediará, entre os dias 28 de setembro e 1º de outubro, o Fortran 2011 – Fórum Brasileiro de Valorização e Preservação da Vida no Trânsito. O evento, em sua primeira edição, será realizado no auditório do Sebrae/CE. Promovido pelo Instituto Brasileiro de Defesa da Cidadania – Ibradec, o FORTRAN 2011 tratará de temas ligados diretamente ao cotidiano de grandes cidades, como trânsito e saúde pública; transporte público com qualidade antes e após a Copa de 2014; acidentes e o impacto na Previdência social; trânsito e meio ambiente.

Os palestrantes serão o deputado federal Artur Bruno, o presidente da Etufor, Ademar Gondim; a promotora de Justiça de Defesa da Saúde Pública, Isabel Pôrto; o titular da Secretaria do Meio Ambiente e Controle Urbano do Município – Semam, Deodato Ramalho; e a professora da Universidade Federal do Ceará, Gislene Macedo. Todas as palestras serão seguidas de debates com especialistas nos temas abordados e autoridades públicas ligadas às áreas em discussão.

O Fórum é uma iniciativa da sociedade civil organizada, e conta com o apoio do Ministério Público do Ceará e do Governo do Estado, através da Secretaria de Infraestrutura e do Detran/CE. Ao final será elaborada a Carta do Fortran com proposições concretas de soluções de médio e longo prazo para o problema do trânsito. “Nossa ideia é começar por Fortaleza e, então, expandir estas discussões para todo o país”, afirma o presidente do Ibradec, Max Swell Veras Ribeiro. Segundo ele, o evento não abordará apenas a mobilidade urbana. “O que vamos oferecer é um espaço para discutir o trânsito e suas implicações ambientais, sociais, econômicas e até mesmo de saúde pública. Vamos discutir temas que visam trazer a sociedade para uma reflexão e ação conjunta em prol da vida”, disse.

Mortes no trânsito

Em março de 2010, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou o decênio 2010-2020 como Década Mundial de Ações Para Segurança no Trânsito.  Atualmente, registram-se mais de 1 milhão e 300 mil mortes por ano e milhões de pessoas feridas, algumas incapacitadas permanentemente, atingindo de forma majoritária aquelas na faixa etária de 15 a 44 anos de idade.

De acordo com a seguradora que administra o DPVAT, todos os dias são pagas de 900 a mil indenizações a vítimas de acidentes de trânsito no Brasil. Do total de indenizações pagas em 2010, 61% envolviam motos e 31% carros. O número de mortes é, é média, de 160 a cada dia.